Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Setor Regulado > Aeródromos > Certificação > Runway Safety > Runway Condition Code (RwyCC)
conteúdo

Runway Condition Code (RwyCC)

publicado 23/08/2019 17h05, última modificação 05/09/2019 14h32

Reporte de Condição de Pista (RCC) 

De acordo com dados da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI), acidentes e incidentes relacionados à segurança de pista são a principal categoria de riscos na aviação. Entre os eventos de segurança de pista, a mais comum é a Excursão de Pista (RE) - eventos em que uma aeronave sai pela lateral ou ultrapassa o final da pista durante sua decolagem ou pouso. 

A OACI e o Grupo Regional de Aviação de Segurança - Pan America (RASG-PA) destacam as condições meteorológicas como fatores de contaminação da pista, podendo afetá-la com água, neve ou gelo, capazes de interferir na capacidade de frenagem, aceleração e controle de uma aeronave.

 

Global Report Format (GRF)

No intuito de mitigar os riscos de excursões de pista, a OACI, em conjunto com representantes de seus Estados-Membros e da Indústria da Aviação Civil, desenvolveu uma metodologia harmonizada para avaliar e relatar as condições das superfícies da pista. 

A partir da adoção de um formato de notificação global harmonizado, a metodologia “Global Reporting Format”- GRF facilitará a avaliação e a notificação das condições de superfície de pista. Com isso, torna-se possível transmitir informações em tempo real para tripulações de voo, comunicando sobre o estado da superfície da pista. A metodologia GRF está programada para ser implementada pelos Estados Membros da Organização até o mês de novembro de 2020. 

 

Reporte de Condição de Pista (RCR)

Para transmitir informações sobre o estado da pista de maneira integrada e harmonizada, foi criado o Reporte de Condição de Pista (RCR ou RwyCC). Esta metodologia foi projetada de modo a abarcar todas as possibilidades encontradas nas diferentes condições meteorológicas. Ela inclui previsões para estados em que há apenas chuva (como ocorre na maioria dos casos no Brasil), bem como previsões para aeroportos localizados em espaços que experimentam condições de inverno com baixas temperatura, com neve, gelo ou geada.

 

Como funciona o reporte

De acordo com o PANS-Aerodromes (Doc. 9981 da OACI), o operador aeroportuário avalia a condição da superfície da pista. Caso seja identificado algum contaminante (como água, neve, lama, gelo ou geada), é gerado o Código de Condição de Pista (Runway Condition Code - RCC ou RwyCC) e uma descrição da superfície da pista, formando o RCR (Runway Condition Report). Esse procedimento é realizado para cada terço da pista por um avaliador capacitado.


Em seguida, o RCC é passado ao órgão de serviço de tráfego aéreo, que o transmitirá aos pilotos, por meio do ATIS (Sistema Automática de Informação Terminal), para que calculem a performance requerida para operação.

A metodologia GRF prevê também que pilotos realizem o Reporte de Ação de Frenagem (Report Braking Action - RBA). Ao identificarem divergências entre o RCC e o RBA, um novo código poderá ser atribuído até que seja realizada uma nova avaliação das condições da superfície da pista. As informações geradas são salvas em uma base de dados, possibilitando analises posteriores.

A tabela com os códigos está sendo elaborada pela ANAC com base no projeto piloto em curso no Aeroporto de Curitiba e será disponibilizada oportunamente. 

Veja como funciona o reporte: