Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2020 > Empresas aéreas brasileiras acumulam prejuízo de 19,7 bi em 2020
conteúdo

Notícias

Empresas aéreas brasileiras acumulam prejuízo de 19,7 bi em 2020

No terceiro trimestre deste ano, valor negativo foi de aproximadamente R$ 4 bi
publicado: 31/12/2020 11h18, última modificação: 31/12/2020 11h18

A crise ocorrida na economia mundial, e em especial na aviação civil, provocada pela pandemia do novo coronavírus, aumentou ainda mais o prejuízo financeiro das companhias aéreas do país. De acordo com as demonstrações contábeis do terceiro trimestre (clique no link para acessar), publicadas nesta quinta-feira (31/12), as três maiores empresas brasileiras do setor aéreo — Gol, Latam e Azul — tiveram prejuízo líquido de R$ 3,9 bilhões nesse período. Trata-se do pior resultado líquido obtido por elas no terceiro trimestre apurado em toda a série histórica analisada, iniciada em 2015.

O resultado líquido do 3º trimestre deste ano representa uma piora de 760,6% em relação ao mesmo período do ano passado, correspondente a uma margem líquida negativa de 144,4%, ante prejuízo líquido de R$ 454,6 milhões, com uma margem líquida negativa de 3,8%, computado no mesmo período de 2019.

No acumulado do ano, comparando com o mesmo período de 2019, o prejuízo líquido das empresas passou de R$ 561,8 milhões para R$ 19,7 bilhões. Na comparação entre os anos, a margem líquida saltou de - 1,8% para - 132,3%. Esse foi o pior resultado alcançado pelas três empresas no 3º trimestre de toda a série histórica analisada.

Indicadores no período

Desde o início da pandemia provocada pelo novo coronavírus no país, os principais indicadores do setor têm apresentado forte redução. Embora em uma escala menor ao que foi observado de março a maio deste ano, a demanda (RPK) e a oferta (ASK) por transporte aéreo no mercado doméstico, durante o terceiro trimestre de 2020, tiveram retração de 67,7% e 65,5%, respectivamente, na comparação com o mesmo período do ano anterior. De julho a setembro deste ano, a quantidade de passageiros pagos transportados no mercado doméstico apresentou queda de 71,7% neste ano, passando de 24,2 milhões para 6,9 milhões de um ano para o outro na comparação com igual período.

Combustível e câmbio

O valor médio do litro de querosene de aviação (QAV) e a taxa de câmbio — indicadores com forte influência nos custos operacionais das empresas — oscilaram durante o terceiro trimestre deste ano na comparação com igual período de 2019. Na média do trimestre, o valor do litro do querosene de aviação esteve 17,3% inferior de julho a setembro de 2020. Por outro lado, na média do trimestre, a taxa de câmbio foi 35,4% superior na comparação com o mesmo período do ano passado.

As demonstrações contábeis das empresas aéreas brasileiras são publicadas trimestralmente pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) na seção Dados e Estatísticas, Mercado do Transporte Aéreo, do portal da Agência (clique para acessar). Os números são apresentados pelas empresas brasileiras de transporte aéreo público e auditados pela Agência antes de sua divulgação.

Metodologia Demonstrações Contábeis

 Em cumprimento à Resolução nº 342/2014, as empresas brasileiras de transporte aéreo público com participação de mercado relevante devem apresentar as suas demonstrações contábeis à ANAC. As demonstrações contábeis trimestrais devem ser apresentadas pelas empresas com participação igual ou superior a 1% em termos de passageiros quilômetros pagos transportados (RPK) doméstico ou internacional. Já as anuais devem ser apresentadas por aquelas com participação igual ou superior a 1% do RPK ou das toneladas quilômetros pagos transportados (RTK) no mercado doméstico ou internacional.

 

Assessoria de Comunicação Social
E-mail: