conteúdo

Fatores que Afetam as Tarifas Aéreas

publicado 27/07/2016 11h17, última modificação 27/07/2016 11h17

Diversas são as dúvidas que envolvem os preços das passagens aéreas. Por que as tarifas aéreas mudam a todo instante? Por que os passageiros de um mesmo voo pagam valores tão diferentes? Por que as passagens para um destino doméstico mais próximo custam mais do que as passagens para um destino internacional mais distante?

As respostas para estas e outras questões passam pela compreensão das características do transporte aéreo e dos fatores que afetam os preços destes serviços.

Os serviços de transporte aéreo podem ser comparados aos produtos perecíveis, ou seja, não são bens duráveis. Precisam ser “consumidos” imediatamente.

A partir do momento que a aeronave decola, todos os custos diretos e indiretos associados ao voo, como o combustível, são incorridos e compensados pelas passagens vendidas.

Logo, assentos vazios representam perda de receita e, possivelmente, prejuízos.

Outra característica importante é a de que, contrariando o senso comum, o transporte aéreo não é um produto homogêneo. Ou seja, os serviços não se resumem a um assento.

Os usuários do transporte aéreo possuem expectativas e preferências diferentes.

As preferências dos passageiros em relação ao serviço podem estar associadas a inúmeros fatores, tais como:

  • o dia da semana e o horário do voo;
  • a antecedência de aquisição do bilhete de passagem;
  • o risco de remarcação ou de cancelamento da viagem;
  • os benefícios de programas de fidelização/pontuação;
  • refeição a bordo;
  • as escalas e conexões do voo;
  • o aeroporto de embarque e de desembarque;
  • o nível de pontualidade e de regularidade do voo;
  • a possibilidade de aquisição do bilhete de passagem pela internet;
  • a disponibilidade de check-in pela internet;
  • o entretenimento a bordo;
  • o espaçamento entre as poltronas;
  • o despacho de bagagens; e
  • a possibilidade de escolha de assento.

Assim, a diferenciação do produto se torna desejável para permitir ao passageiro selecionar aquele que melhor atende à sua necessidade.

Passageiros que preferem serviços mais sofisticados podem assegurá-los pagando as tarifas correspondentes a cada opção selecionada.

Por outro lado, passageiros mais sensíveis a preços podem encontrar promoções e tarifas mais baratas para os serviços mais básicos.

Para atender a um maior número de passageiros, otimizar a ocupação das aeronaves e alcançar rentabilidade, as preferências dos usuários são consideradas na prestação e na precificação dos serviços.

É importante compreender que, em qualquer atividade econômica, a rentabilidade é fator principal para que se tenha investimento e oferta de serviços.

Nesse sentido, as tarifas aéreas são ajustadas a todo instante de acordo com a procura e conforme se aproxima a data do voo, entre outros fatores.

Isto propicia o atendimento a uma maior diversidade de usuários e uma taxa de ocupação da aeronave que sustente a prestação do serviço.

Além das preferências dos usuários, os preços do transporte aéreo são afetados, direta ou indiretamente, por outros inúmeros fatores, tais como:

  • a evolução dos custos, que, no caso do transporte aéreo, são severamente afetados pelo preço do barril de petróleo e pela taxa de câmbio (Dólar/Real);
  • a eficiência da empresa;
  • a distância da linha aérea;
  • a concorrência;
  • a densidade de demanda;
  • a baixa e a alta temporada;
  • as ações promocionais de concorrentes;
  • restrições de infraestrutura aeroportuária e de navegação aérea;
  • a organização da malha aérea da empresa;
  • o porte e a eficiência das aeronaves;
  • a taxa de ocupação das aeronaves; e
  • o canal de comercialização.

Como visto, a distância é apenas um dos fatores que afetam os preços do transporte aéreo. Por isso, passageiros de um mesmo voo pagam tarifas diferentes. É essa dinâmica que propicia a inclusão social no transporte aéreo.