Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Demanda doméstica das empresas aéreas brasileiras acumula alta de 4,4% até setembro
conteúdo

Notícias

Demanda doméstica das empresas aéreas brasileiras acumula alta de 4,4% até setembro

No mês, foram transportados 7,6 milhões de passageiros pagos em voos nacionais
publicado: 30/10/2018 09h39, última modificação: 30/10/2018 09h48

                                                Indicadores de Demanda e Oferta

A demanda por voos domésticos das empresas aéreas brasileiras medida em RPK (passageiros-quilômetros pagos transportados) acumulou, até o mês de setembro, alta de 4,4%, na comparação com o mesmo período de 2017. A oferta medida em ASK (assentos-quilômetros ofertados) também avançou nos primeiros três trimestres do ano, registrando elevação de 4,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. Em setembro, as companhias brasileiras transportaram 7,6 milhões de passageiros pagos em voos domésticos, volume 1,2% maior que o verificado no mesmo mês de 2017.

Os dados divulgados pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) nesta segunda-feira (30/10) constam do relatório Demanda e Oferta do Transporte Aéreo - Empresas Brasileiras Setembro de 2018.

A taxa de aproveitamento de assentos (ocupação das aeronaves) nos voos domésticos entre janeiro e setembro foi de 80,7%, registrando variação negativa de 0,3% em relação ao mesmo período de 2017. Em setembro, na comparação com o mesmo mês do ano passado, a retração foi maior, de 2,6%, e taxa de aproveitamento foi de 80,7%. As empresas aéreas brasileiras registraram ainda, até o mês de setembro, alta acumulada de 12,2% no transporte de carga e correio no mercado doméstico, na comparação com o mesmo período de 2017. 

Em setembro, a Gol manteve-se na liderança, com participação de mercado de 34,5% (-3,1% na comparação com mesmo mês de 2017) na demanda medida em RPK, seguida da Latam com 32,5% (-2,2%), Azul com 19,2% (+8,8%) e Avianca com 13,5% (+2,5%).

Mercado internacional

No transporte aéreo internacional, a demanda das empresas brasileiras medida em RPK, quando comparada com o mesmo mês de 2017, registrou expansão de 16,7% em setembro. Foram transportados 764 mil passageiros pagos em voos internacionais – o maior nível para o mês na série histórica iniciada em 2000. No acumulado do ano, o crescimento da demanda foi de 15,8%. Medida em ASK, a oferta cresceu mais que a demanda, alcançando alta de 19,5% nos primeiros nove meses de 2018 em relação ao mesmo período do ano anterior.

A Latam encerrou o mês de setembro com participação de 69,2% (-5,6% em relação ao mesmo mês de 2017) na demanda medida em RPK, seguida da Azul, com 12,9% (+13,2%); da Gol, com 8,5% (-18,2%); e da Avianca, com 9,4% (+92,6%).

No acumulado de janeiro a setembro, a ocupação dos voos internacionais das empresas brasileiras caiu 3,1% na comparação com igual período de 2017, ficando a taxa de aproveitamento de assentos em 82,6%. Em setembro, a redução da taxa foi de 4,6% em relação ao mesmo mês do ano anterior, resultando numa taxa de aproveitamento de 81,6%.

Fonte dos dados

O relatório Demanda e Oferta do Transporte Aéreo - Empresas Brasileiras Setembro de 2018 foi elaborado com base nos dados estatísticos de voos regulares e não regulares fornecidos à ANAC pelas empresas brasileiras de transporte aéreo público, em cumprimento à Resolução nº 191/2011. O documento pode ser acessado na opção “Mercado do Transporte Aéreo” da seção “Dados e Estatísticas” do portal da ANAC na internet ou por meio do link Demanda e Oferta do Transporte Aéreo.

Assessoria de Comunicação da ANAC
Gerência Técnica de Relações com a Imprensa
E-mail: jornalismo@anac.gov.br
www.anac.gov.br