Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2019 > Debates sobre tecnologia, meio ambiente e setor aeroespacial encerram participação da ANAC no IBAS 2019
conteúdo

Notícias

Debates sobre tecnologia, meio ambiente e setor aeroespacial encerram participação da ANAC no IBAS 2019

Encontro internacional de aviação ocorreu no Aeroporto de Guarulhos entre 11 e 13 de setembro
publicado: 13/09/2019 16h40, última modificação: 13/09/2019 17h11

São Paulo, 13 de setembro de 2019 – Encerrando sua participação no International Brazil Air Show (IBAS) 2019, que ocorreu entre os dias 11 e 13 de setembro no Aeroporto de Guarulhos (SP), representantes da ANAC estiveram presentes em painéis de discussão sobre o futuro e desenvolvimento da aviação brasileira, inovações tecnológicas no setor aeroespacial, tecnologia da informação e mercado de drones, além de meio ambiente e os impactos do transporte aéreo.

No primeiro painel do dia, intitulado “Perspectiva econômica: o mercado aeroespacial Brasileiro no contexto internacional”, o superintendente de Aeronavegabilidade da ANAC, Roberto Honorato, falou sobre práticas e melhores entendimentos de certificação de produtos aeronáuticos e como os acordos internacionais são relevantes nesse processo. “Os acordos bilaterais revelam redução efetiva de retrabalho nas certificações, pois um produto certificado na origem não necessariamente precisa ser certificado novamente”, disse.

Segundo Honorato, considerando o tema do IBAS 2019 – “Conectividade e Inovação para o fortalecimento do transporte aéreo na América Latina” –, a regulação da aviação civil pode ser considerada antiga. Contudo, na visão dele, a era da tecnologia permite aos órgãos reguladores de aviação trabalharem com mais eficiência, dados os avanços tecnológicos mundiais.

O superintendente também participou do painel de drones, que englobou temas como o mercado de drones no Brasil e as tecnologias de detenção de drones nos aeroportos. Honorato citou três premissas para a regulação dos equipamentos. “Existem pontos essenciais a serem observados no âmbito da regulação de drones no Brasil: a viabilização das operações; a minimização de ônus administrativos e, principalmente, burocráticos; e a permissão da evolução, seguindo o mesmo ritmo da evolução no setor”. Ainda nesse contexto, o superintendente da ANAC citou a tecnologia como um fator facilitador regulatório.

Inovações tecnológicas

Considerando a constante transformação na era digital e como a evolução da tecnologia está impactando a aviação, o painel “Spotlight Inovagov: Inovações tecnológicas promovidas pelo setor público de aviação” abordou como o setor poderá acompanhar a evolução incorporando tecnologia a favor dos negócios e dos passageiros. O superintendente de Tecnologia da Informação da ANAC, Gustavo Sanches, utilizou como exemplo o Blockchain para falar sobre o aumento da performance dos sistemas da Agência. Ele explicou que, com o Blockchain, cada informação gerada se interliga a outras, transformando um bloco de informações em um sistema.

Sanches reforçou que a tecnologia de Blockchain é uma forma nova de aplicar tecnologias já existentes em uma tecnologia única, consolidada. “O Blockchain une um grande volume de informações com disponibilidade e segurança da informação. É ganho e segurança para o passageiro, para o governo, para os aeroportos e para as companhias aéreas”, afirmou. O superintendente citou também a CHT digital como uma das inovações tecnológicas da Agência. “Não se trata apenas da troca de documento físico para o digital. A CHT digital é uma mudança de paradigma que gera redução de custos e mais agilidade nos procedimentos documentais”, explicou.

Gestão ambiental

Abordando temas com teor ambiental, como as inovações sustentáveis no sistema global de aviação civil, a assessora Internacional da ANAC, Ana Paula Machado, foi a moderadora do painel “Desafios do combustível e das mudanças climáticas: estágio atual e avanços na América Latina e o impacto do transporte aéreo”. Ana Paula comentou que a Agência faz parte da discussão internacional sobre meio ambiente por meio da Organização de Aviação Civil Internacional (OACI), que tem como objetivo alcançar o crescimento sustentável do sistema global de aviação civil. “Biocombustível é um tema que está em alta na pauta da OACI e mudança climática é um tema global importante de ser discutido”, disse a assessora. No painel, foram discutidos impactos do setor aéreo no meio ambiente e desafios e planos para a gestão ambiental no setor.

O IBAS é um evento bianual que reúne os principais órgãos, empresas e influenciadores do setor de aviação civil para discutir temas relevantes relacionados ao desenvolvimento do setor. A primeira edição do evento ocorreu em 2017, no aeroporto do Galeão. Para mais informações sobre o IBAS, acesse https://internationalbrazilairshow.com.br/.

Assessoria de Comunicação da ANAC
Gerência Técnica de Relações com a Imprensa

E-mail: jornalismo@anac.gov.br