Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2018 > Aeronave E190-300 da Embraer é certificada pela ANAC e validada por FAA e EASA no mesmo dia
conteúdo

Notícias

Aeronave E190-300 da Embraer é certificada pela ANAC e validada por FAA e EASA no mesmo dia

Emissão simultânea de certificado por autoridades dos EUA e Europa reflete maturidade técnica da Agência brasileira
publicado: 01/03/2018 08h22, última modificação: 05/03/2018 17h42

São José dos Campos, 28 de fevereiro de 2018 - A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) protagonizou, de forma inédita, o primeiro processo de certificação de aeronave de grande porte no mundo ao emitir o certificado de tipo para o modelo E190-300 da Embraer, comercialmente chamado de E2. A certificação emitida nesta quarta-feira, 28 de fevereiro, foi validada no mesmo dia pelas autoridades de aviação americana, Federal Aviation Administration (FAA), e europeia, European Aviation Safety Agency (EASA).

Foi a primeira vez que um programa aeronáutico com o nível de complexidade do E190-300, um avião para transporte de passageiros com capacidade para até 114 assentos, foi certificado simultaneamente por três das maiores autoridades internacionais de aviação, tendo a ANAC à frente. “É uma satisfação muito grande para ANAC estar aqui hoje junto com outras duas grandes autoridades, o FAA e a EASA, entregando a certificação. É a primeira vez que as três agências certificam ao mesmo tempo um avião e esse avião é brasileiro”, disse o Diretor da ANAC Ricardo Bezerra, na sede da Embraer.

O programa de certificação do E-190-300 consumiu quase cinco anos de trabalho na checagem de mais de 5 mil requisitos. Demandou ainda o trabalho de 70 engenheiros e técnicos da Agência brasileira, além da colaboração de 271 profissionais credenciados.

O alto grau de cooperação – por meio de delegação de procedimentos – e de confiança no trabalho da ANAC levaram a americana FAA, por exemplo, a endossar 64% dos documentos emitidos pela Agência brasileira em caráter especial para a certificação do E190-300. Na aviação civil, esse tipo de reconhecimento internacional ocorre somente entre autoridades regulatórias com alto nível de maturidade técnica.

Complexidade

Um marco para a fabricante Embraer – que conseguiu a certificação dentro do prazo e do orçamento previstos –, o programa do E190-300 foi também um desafio para a ANAC tanto por sua alta complexidade tecnológica, como pela importância de garantir um ambiente regulatório que favoreça a competitividade da indústria nacional por meio da aplicação de mesmo nível de rigor e tempos de entrega executados pelas demais autoridades aeronáuticas, em especial FAA e EASA.

Primeiro de uma nova família de aeronaves, o E2 emprega o que há de mais avançado em tecnologia aeronáutica, com motores, asas e trem de pouso totalmente novos, e atualização de 75% dos sistemas dos modelos E-Jets. O trabalho realizado pelos técnicos da ANAC para a certificação do E190-300 ocorreu ainda concomitantemente com outros projetos, incluindo os da Embraer em andamento – a aeronave de uso militar KC 390 e demais aeronaves da família E2, como ERJ 190-300, ERJ 190-400 e ERJ 190-500 –, além de validações de aeronaves estrangeiras.