Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2016 > Aviação geral terá medidas adicionais de segurança durante os Jogos Olímpicos Rio 2016
conteúdo

Notícias

Aviação geral terá medidas adicionais de segurança durante os Jogos Olímpicos Rio 2016

Aeronaves deverão cumprir os procedimentos em um dos aeroportos-hub e pelas empresas habilitadas. Instruções e regras estão publicadas na circular 07/16 do DECEA
publicado: 20/07/2016 17h59, última modificação: 01/09/2017 09h33

Todas as aeronaves da aviação geral que planejam acessar os aeroportos da cidade do Rio de Janeiro e das cidades-sede do futebol – Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Salvador (BA) e Manaus (AM) – durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 deverão cumprir algumas medidas de segurança. Esses aeroportos estão localizados em áreas de exclusão do espaço aéreo, que estão classificadas como "Restrita" (Área Amarela). Por conta disso, para ingresso em um desses terminais, as aeronaves da aviação geral deverão, obrigatoriamente, cumprir alguns procedimentos em um dos aeroportos-hub (centro de conexões de vôos) e por uma das respectivas empresas habilitadas. Veja a lista aqui.

As informações relativas aos períodos de ativação das áreas de exclusão e as regras específicas para a circulação aérea estão publicadas na Circular de Informação Aeronáutica - AIC N 07/16, "Alterações temporárias no Espaço Aéreo Brasileiro durante a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016", do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea).

A lista dos aeroportos-hub nacionais com empresas privadas habilitadas a realizar estas medidas foi aprovada pela Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (CONAERO). Cada empresa selecionada possui um Plano Operacional de Segurança que engloba os procedimentos de inspeção em aeronaves, tripulantes, passageiros, bagagens e cargas.

 

Fonte: Aviação Civil